as melhores ofertas na Madeira
encontre e reserve já
porquê reservar connosco
+ mais opções + menos opções

Vinho Madeira à mesa dos Czares russos

Um dos países mais improváveis onde o Vinho Madeira teve um enorme impacto na vida social e cultural foi a Rússia. Um dos eventos que originou esta forte conexão comercial foi a assinatura, em 1787, do Tratado de Amizade, Navegação e Comércio entre Dona Maria I de Portugal e a Czarina Catarina II da Rússia (A Grande). O tratado envolvia maiores facilidades fiscais para a entrada de vinhos portugueses na Rússia em troca do mesmo tratamento para os produtos russos, como cânhamo, linhaça, óleo, ferro, armas e munições. Assim começou o fornecimento regular de Vinho Madeira verdadeiro à Rússia.

Vinho Madeira verdadeiro?

Sim, há uma história por trás deste termo.

O Vinho Madeira já era conhecido e muito apreciado pela nobreza na Rússia no final do século XVII, no reinado de Sua Alteza Imperial Pedro, o Grande, no entanto, apenas quantidades muito pequenas chegavam à Rússia porque tinha que ser comprado através de países terceiros. Assim, surgiu a ideia de produzir localmente um vinho fortificado: um vinho chamado de "Madera Imperial", de qualidade duvidosa, às vezes chamado de "vodka barata". Isto, naturalmente, danificou a reputação do nobre e fino vinho feito na Ilha da Madeira.

No entanto, quando o comércio se tornou mais fácil após o Tratado assinado em 1787, mais do verdadeiro Vinho Madeira começou a chegar à Rússia. Instrumental em trazer este néctar dos deuses para a mesa dos Czares e Czarinas foi uma dupla de irmãos mercadores de São Petersburgo: Piotr e Gregorii Elissev.

Em 1821, Piotr partiu em direcção a terras mais quentes, onde: "Laranjas crescem nas árvores como maçãs na Rússia". O seu destino era o sul da Espanha, onde ele tinha ouvido dizer que poderia obter muitos produtos coloniais para levar para vender em São Petersburgo. No entanto, uma violenta tempestade fez com que aportasse na Ilha da Madeira. Piotr apaixonou-se pela ilha, pelo vinho e pelas pessoas e decidiu ficar alguns meses. Ele aprendeu um pouco de português e assistiu à produção do Vinho Madeira. Foi então que ele decidiu levar Vinho Madeira de volta para casa. Uma vez de volta à Rússia ele e o seu irmão prepararam tudo para a importação de vinho de Portugal numa base regular e montaram lojas que também vendiam Vinho Madeira, em São Petersburgo e Moscovo que se tornaram muito bem-sucedidas – essas lojas existem ainda hoje e são joias da arquitectura russa.

Documentos históricos afirmam que entre 1830 e 1840 a Rússia foi um dos maiores importadores de Vinho Madeira, tendo negociado dois mil barris de verdadeiro Madeira por ano. Em 1899, um total de 770 840 litros de Vinho Madeira rumaram até esta parte fria do continente.

No entanto, quando os czares perderam o poder em 1917, o verdadeiro Vinho Madeira tornou-se inacessível até 1991, tendo sido novamente substituído por maderas feitos na Rússia, Ucrânia, Moldávia, Arménia, ...

Hoje em dia a reputação do Vinho Madeira na Rússia está a recuperar bem, especialmente após o futebolista Danny Gomes, que joga numa das principais equipas da Rússia, ter sido entronizado Confrade na Confraria do Vinho Madeira.

dmustra@
“Thanks again for a wonderful day full of wine and food set to the backdrop of your beautiful island!”

David Mustra, United States

 

      

VeriSign Secured, McAfee Secure, W3C CSS compliant
GuestCentric - Hotel website & booking technology