as melhores ofertas na Madeira
encontre e reserve já
porquê reservar connosco
+ mais opções + menos opções

A história do Vinho Madeira e o Reino Unido

O primeiro registro do transporte de Vinho Madeira a partir da ilha remonta a 1456, uns meros 37 anos após a data da descoberta desta ilha esmeralda. E para onde foi este lote de vinho? Foi para Norte rumo a Inglaterra.

Um dos primeiros eventos que marca a história de cinco séculos da paixão inglesa pelo vinho feito neste pequeno pedaço do paraíso no meio do Atlântico foi a execução por traição do Duque de Clarence, irmão de Edward IV de Inglaterra, que por ser da família real pôde escolher como morreria: supostamente escolheu morrer afogado num barril de Malvasia em 1478.

O casamento do rei Charles II de Inglaterra em 1662 com a duquesa Catarina de Bragança (irmã do insano rei Afonso VI de Portugal) trouxe um enorme impulso à exportação de Vinho Madeira para o Reino Unido. A negociação do dote foi algo feroz e o Rei Charles II recebeu os portos de Bombaim e Tânger e ouro do Brasil em troca de navios e soldados. A mãe da noiva pensou que poderia ter de adicionar a Madeira ao dote no caso de o rei não ficar satisfeito, e amoleceu-o, trazendo à luz a lenda de que a ilha teria sido descoberta por um britânico chamado Robert Machim que tinha fugido com o seu amor, Anna d'Arfet, e naufragado na ilha antes dos portugueses a terem descoberto oficialmente em 1419. No entanto, o Rei tinha-se apaixonado por Catarina e ficou perfeitamente satisfeito com os dois portos, e assim a Ilha da Madeira permaneceu portuguesa.

Em 1665, Charles II proibiu a exportação de todas as mercadorias europeias para as colónias inglesas mas excluiu a Madeira dessa proibição. Consequentemente, os mercadores na Ilha da Madeira, a maioria dos quais era de nacionalidade inglesa, ficaram com o monopólio do comércio na América e nas Caraíbas. Embora a quantidade de Vinho Madeira que chegou às Ilhas Britânicas nesta altura não fosse enorme, representava uma enorme fonte de receitas para o Império Britânico, porque a maioria dos mercadores na ilha era inglesa e os colonizadores nas plantações do Novo Mundo tornaram-se grandes fãs e pediam cada vez mais desta bebida deliciosa. Os registros mostram que, por volta de 1780, um existia um total de 70 casas britânicas de comércio de vinhos na Ilha da Madeira.

O Vinho Madeira viajou muito durante a sua história de cinco séculos e no final do século XVIII percorreu todo o caminho até a Austrália a bordo do Endeavour pela mão do capitão James Cook na sua primeira viagem ao Pacífico Sul para evitar os efeitos do escorbuto nos seus 94 homens, de forma a que todos pudessem chegar ao seu destino no outro lado do mundo.

Após a Guerra Civil Americana maiores quantidades de Vinho Madeira rumaram às Ilhas Britânicas por causa do regresso ao Velho Mundo de tantos cidadãos britânicos. Os registros mostram que até 1856 (quando a primeira tragédia atingiu as vinhas na Madeira) o responsável pelas Adegas da Coroa Real Britânica fez muitas encomendas do mais fino Vinho Madeira, não só para o as Adegas Reais mas também para os seus amigos da nobreza, demonstrando assim a fama que o Vinho Madeira tinha na época.

Wine Tour Review

"For us it was the personal friendly touch and passion about Madeira that shone through including current topical Information such as Christmas celebrations that made it an enjoyable and memorable experience for us. We would highly recommend it and you can learn where some best kept secrets are then go back later and shop to your heart's content!"
Joanne F, December 2015 - 5 star rating: Highly Recommended Viator review 5 star rating: Highly Recommended

 

      

VeriSign Secured, McAfee Secure, W3C CSS compliant
GuestCentric - Hotel website & booking technology